08/05/2018

Treinamentos corporativos: utilizando videoconferência corretamente

treinamentos-corporativos-utilizando-videoconferencia-corretamente.jpeg

O capital humano é um dos pilares de uma administração excelente. Seja qual for o seu setor de atuação, pensar na capacitação da sua equipe é essencial para que as competências necessárias sejam desenvolvidas e melhor aproveitadas. Logo, devem ser cogitadas as estratégias mais sensatas para treinamentos corporativos, deixando de lado métodos onerosos.

Nesse sentido, a otimização trazida pela tecnologia auxilia no crescimento das mais diversas áreas, garantindo a eficiência máxima dos recursos aplicados. Até porque, com a revolução digital em alta, vemos a maioria dos processos — sejam da vida pessoal ou da vida profissional — sendo informatizada.

Pensando nisso, hoje falaremos sobre um meio de aplicar treinamentos corporativos muito proveitoso: a videoconferência. Acompanhe e confira!

Por que treinamentos corporativos são importantes?

O treinamento corporativo é importante pelo mesmo motivo que o profissionalismo o é: para que um setor tenha sucesso em todas as suas demandas, os colaboradores envolvidos nele devem ter as habilidades e competências necessárias para atuar dentro dos cenários propostos pelo campo de trabalho.

Sendo assim, quem cuida de uma equipe deve pensar no seu constante aprimoramento, para que nenhuma etapa dos procedimentos seja executada de forma errônea. Isso causa uma baixa nas chances de equívoco dentro daquela determinada ação, diminuindo, por consequência, o retrabalho. Ou seja, economiza-se tempo e dinheiro.

Para alcançar esse objetivo, usar videoconferências de forma estratégica é sinônimo de qualidade nas técnicas implementadas.

Facilitar a chegada desse conjunto de informações pertinentes à atuação no ramo é uma boa forma de gerenciar o seu time. Assim, no âmbito da atividade exercida, se prevê maior alinhamento dos colaboradores com as propostas.

Quais são as vantagens desse tipo de treinamento?

Ao refletir sobre a capacitação à distância, o primeiro ponto a ser considerado é o encurtamento dessas lonjuras.

Assim como usamos nossos smartphones para nos conectarmos a diversas partes do mundo sem que a separação geográfica seja um obstáculo, a tecnologia pode resolver problemas referentes à dificuldade de encontro físico das pessoas, bem como a indisponibilidade de recursos e tempo para deslocamento.

E, indo mais além, já que a Tecnologia da Informação sempre representa um fator-chave para enxugar custos e otimizar tempo, isso quer dizer que uma ferramenta tecnológica — como é o caso das videoconferências — pode tornar o treinamento acessível mesmo para setores com recursos escassos para aplicação, ou cuja implantação de processos seja burocrática.

Como o uso da videoconferência aumenta a produtividade da equipe?

Em aulas gravadas, por exemplo, o ambiente de aprendizado se torna monótono e, geralmente, sujeito ao desinteresse justamente pela falta de movimento. Ao aderir às videoconferências, pelo contrário, os colaboradores podem participar e tirar dúvidas em tempo real.

Isso acrescenta dinamismo, aumentando a participação da equipe acerca dos novos conteúdos. E, se as pessoas se envolvem mais, suas chances de retenção do conhecimento são muito maiores.

Além dos treinamentos, pense em palestras e reuniões: é muito mais simples ter todos presentes numa videoconferência do que deslocar cada um de suas funções para marcar um encontro na matriz, por exemplo.

Nesse sentido, a interação entre equipes de locais distintos engaja os colaboradores. Além disso, sua comunicação fica centralizada, dando força ao fit cultural da organização independentemente de qual seja a localidade consultada.

Quais são os pontos estratégicos da implementação dessa ferramenta?

Raciocinemos sobre o funcionamento de uma empresa, seja de natureza pública ou privada: o planejamento contempla os seus grandes objetivos, que pensam em caminhos para obter os resultados desejados. Logo, o financeiro não pode ser ignorado, pois dá recursos para que os processos aconteçam.

Os processos só acontecem de forma satisfatória quando quem os executa é capacitado para tal. E, se existe qualidade, existe satisfação de quem consome as soluções. Assim, os clientes se fidelizam, logo, sempre há lucro.

Esse lucro contínuo — resultado da demanda de quem consome serviços de qualidade, que são gerados por processos eficientes, executados por pessoas capacitadas — reinicia o ciclo ao ser direcionado à capacitação da equipe. Afinal, essas pessoas vão desenvolver processos eficazes, que vão gerar qualidade nos serviços, e assim por diante.

Seguindo essa lógica, a adoção da videoconferência como ferramenta estratégica de treinamento, ainda que aplicada a um setor específico, é um investimento no desempenho da equipe, criando esse ambiente saudável para o alcance de resultados.

Para exemplificar tudo isso, apresentamos agora 4 situações objetivas em que o uso de videoconferências para treinamentos corporativos demonstra seu poder tático. Eles dão suporte para que a gestão seja feita de maneira mais competitiva. Confira:

1. Reduz custos

Além das viagens e do tempo que elas usam, os canais tradicionais de telefonia são expansivos. Mas, usando a videoconferência, você anula todos esses gargalos. Assim, deslocamento, tempo em serviço e telecomunicações são custos com os quais quem opta pelo uso da videoconferência não precisa se preocupar.

2. Otimiza os processos

Ter eficiência significa ter mais resultados usando o mínimo de recursos possível. Nesse sentido, quando a sua gestão utiliza videoconferências (para treinamentos, reuniões e afins), mais tarefas são executadas por meio de uma única ferramenta. E isso tem uma grande abrangência: funciona da alta cúpula até o staff operacional.

3. Dá agilidade ao fluxo de informações

Imagine que, após uma análise de desempenho ou de indicadores, você precise comunicar um ajuste no planejamento ou nas ações de um departamento determinado. Mas, para isso, você tenha que esperar a disponibilidade de todos os envolvidos.

Ora, marcar uma reunião urgente que só é, realmente, possível daqui alguns dias não é nada competitivo, certo? Pois a comunicação via videoconferência resolve esse risco e mantém a postura agressiva da organização, impedindo que ela seja reativa diante do mercado, ou do próprio operacional.

4. Provê bases sólidas para a tomada de decisão

Por serem incomparavelmente mais acessíveis em relação às reuniões, palestras e treinamentos presenciais, as videoconferências podem ser feitas com maior frequência. Inclusive, com hora de começo e fim determinadas, já que se pode incluir pessoas de outros fusos horários, por exemplo.

Enfim, quem tem mais acesso aos dados, informações e conhecimentos se mantém atualizado. Logo, toda decisão acerca do desempenho da equipe ou do setor do qual você é responsável pode ser feita com expertise.

E, como vimos, no caso dos treinamentos corporativo, o direcionamento das atividades pode ser estipulado com máxima competência.

Então, gostou do post? Como a sua gestão lida com a questão tecnológica em prol do crescimento da equipe? Vamos conversar sobre seus objetivos, desafios e experiências? Entre em contato conosco para se inteirar sobre as melhores soluções para a sua área!

Videoconferência

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *