19/05/2016

Solução de videoconferência auxiliando no combate ao H1N1

Videoconferência_Polycom

Um grande seminário por videoconferência.

O Conselho Regional de Farmácia do Estado de São Paulo (CRF-SP) promoveu o Seminário Influenza – com Ênfase em H1N1, na segunda-feira, dia 16 de maio, com transmissão ao vivo, via videoconferência, para 16 cidades.

Segundo a assessoria do CRF-SP, Adamantina integra o conjunto de cidades que debateram o tema, nesta segunda-feira, juntamente com Araraquara, Avaré, Barretos, Bauru, Campinas, Marília, Mogi das Cruzes, Piracicaba, Presidente Prudente, Registro, Santo André, São João da Boa Vista, São José do Rio Preto, São José dos Campos e Sorocaba.

O seminário analisou a situação atual da epidemia, bem como abordou virologia, vacinas e o manejo clínico, tratamento e cuidados farmacêuticos. A iniciativa é pioneira e tem objetivo de treinar os farmacêuticos do Estado no atendimento de pacientes suspeitos de infecção.
De acordo com o boletim do Centro de Vigilância Epidemiológica, emitido nesta semana, 1.130 pessoas foram diagnosticadas com a doença no Estado de São Paulo, sendo que 202 morreram em decorrência de complicações da gripe.

– Colabore por videoconferência de onde você estiver através do RealPresence Mobile

– Veja três fatos que você precisa saber sobre a videoconferência

– As 11 principais diferenças entre a Polycom e sistemas gratuítos de vídeo colaboração

 

Participaram do seminário a Dra. Telma Regina M. P. Carvalhanas, médica e diretora técnica da Divisão de Doenças de Transmissão Respiratória/Centro de Vigilância Epidemiológica/Coordenadoria de Controle de Doenças as da Secretaria de Saúde; a Dra. Viviane Fangaro Botosso, farmacêutica responsável pelo Laboratório de Virologia do Instituto Butantan, e a Dra. Adryella de Paula Ferreira Luz, farmacêutica e mestre em Infectologia pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

Fonte: CRF-SP

 

Veja também:

Três fatos que você precisa saber sobre a videoconferência hoje.

Videoconferência Polycom

Videoconferência