20/12/2017

9 dicas de ouro para proteger sua rede de dados

9-dicas-de-ouro-para-proteger-sua-rede-de-dados.jpeg

A medida que aumenta o volume de transações comerciais e financeiras feitas pela internet, os cuidados precisam ser redobrados. Invasões na web têm sido um grande problema nos últimos anos, gerando prejuízos inimagináveis às empresas. Felizmente, isso pode ser evitado — ou pelo menos minimizado: basta entender como proteger a rede de dados.

Existem várias formas de se fazer isso, e a principal delas envolve certo investimento em tecnologias específicas de segurança automatizada. Além disso, é preciso adotar algumas políticas de segurança com regras e procedimentos mais rigorosos a serem seguidos por todos os usuários da rede.

Para ajudar você com essa tarefa, listamos abaixo as 9 principais dicas de como proteger a rede de dados da sua empresa. Confira!

1. Evite o Wi-Fi público para acessos privativos

O Wi-Fi público é uma rede de internet aberta para o uso livre e simultâneo de qualquer usuário que estiver ao alcance. Apesar de ter um ponto de internet gratuito ser uma coisa boa, evite acessá-la. Por ser uma rede aberta, ela não possui filtros de acesso, o que facilita a infiltração de pessoas mal-intencionadas.

A conexão é livre e você nunca sabe quem pode estar utilizando-a. Se tiver um hacker só aguardando uma oportunidade, a sua empresa pode ser a presa. Se não tiver outro jeito, evite acessar contas bancárias ou utilizar páginas que precise digitar senhas.

2. Mantenha os softwares sempre atualizados

De tempos em tempos, os desenvolvedores descobrem bugs e falhas de segurança que precisam ser corrigidos ou simplesmente criam técnicas que reforçam a segurança. O problema é que, para muita gente, esse é um momento bastante evitado por causa da paralisação que precisa fazer nas atividades, adiando a atualização até não poder mais.

Cada update vem carregado com patches de correções e melhorias da defesa e de outras funcionalidades do sistema. Por isso, o ideal é baixá-los e instalá-los assim que estiverem disponíveis. Para proteger a rede de dados, leve mais a sério a atualização de softwares da sua empresa.

3. Troque logins e senhas com frequência

Roteadores, servidores e softwares possuem senhas de acesso para configuração que, muitas vezes, vêm programadas de forma padronizada de fábrica e podem ser facilmente descobertas por usuários mal-intencionados na própria empresa ou por hackers.

A primeira coisa que você deve fazer é trocar o login e password atual por outra mais forte. Crie sempre senhas longas que misturem letras, números e caracteres para dificultar ao máximo a descoberta.

É bom lembrar que esse cuidado não se deve ter apenas uma vez, mas periodicamente. Então, crie uma rotina de troca de logins e senhas ou, pelo menos de senhas, a cada dois meses para garantir uma segurança maior e prolongada a rede de dados. Você pode incluir essa rotina nas políticas de segurança que estabelecer.

4. Configure o firewall do Windows

Muitas empresas ignoram uma configuração básica, mas que pode ajudar muito a proteger a rede de dados da corporação. Trata-se do firewall do Windows. Essa ferramenta funciona como uma barreira de proteção contra malwares e ajuda a monitorar e controlar o tráfego de dados entre os computadores da empresa e a internet.

O intuito do firewall é garantir que somente os dados devidamente autorizados entrem e saiam da sua rede. Geralmente, ele vem configurado de fábrica, mas os padrões definidos podem não atender as necessidades da empresa. O ideal é que você acesse o painel de configurações do firewall e determine as regras de entrada e saída de dados.

5. Invista em segurança na nuvem

A nuvem oferece recursos incríveis para ajudar a reforça a segurança da rede de dados. Uma delas é o sistema de backups que pode ser programado para executar a tarefa automaticamente a cada período específico determinado por você, criando cópias dos dados e sistemas e armazenando-as em servidores auxiliares.

Assim, se os dados forem roubados ou deletados e o sistema danificado, uma cópia deles estará sempre disponível. Essa estratégia é fundamental também para se ter um plano de recuperação de desastres, caso a empresa seja afetada por incêndios ou inundações.

6. Garanta a confidencialidade

A confidencialidade é garantida quando se estabelece uma política de segurança onde somente usuários devidamente autorizados acessam os dados e sistemas. Ou seja: é preciso criar bloqueios para impedir o acesso livre e autorizá-los somente por meio de logins e senhas.

Esse método, acompanhado de um sistema de monitoramento de rede, eleva os níveis de segurança da informação nas instituições, já que o uso de identificação ajudam a mapear quem acessou os dados, quando, por meio de qual dispositivo e rede, além do que foi feito.

7. Não use PC’s públicos

Se você tem o hábito de acessar o sistema da empresa de forma remota, precisa ter cuidados que vão além do uso da rede pública de internet. Algumas vezes, o notebook, tablet ou smartphone pode sofrer uma queda de bateria e, sem uma tomada de energia por perto, o jeito é usar um computador da lan house, da biblioteca ou do hotel.

Evite ao máximo essa prática, pois esses aparelhos, assim como a rede pública, são compartilhados entre diversos usuários ao longo do tempo e não se sabe se eles possuem um vírus ou malaware poderoso só esperando você acessar a rede da empresa.

Pior: o computador pode ter um software espião instalado e roubar as suas senhas mais importantes, causando prejuízos irreparáveis a você e a empresa.

8. Solicite autenticações

A autenticação visa impedir que contas suspeitas ou já comprometidas se conectem com o sistema corporativo, protegendo a rede de dados da empresa contra conteúdos enviados via e-mail ou chat.

Todos os dados e arquivos enviados por esse meios de comunicação passam pela autenticação e podem ser barrados ou liberados conforme os padrões de verificação. Dados que possuam um padrão de criptografias reconhecidas pelo sistema podem ser liberados. Caso contrário, a conexão é interrompida por segurança.

9. Ative o filtro MAC

O filtro MAC é ativado pelo roteador e serve para controlar os dispositivos que acessam a rede de dados da empresa. Por exemplo: quando ativado, você pode autorizar o acesso à rede somente pelos dispositivos móveis e computadores que desejar.

Você pode fazer isso acessando “IP e MAC Binding” na tela de configurações do roteador, identificar os equipamentos próximos e definir as regras de acesso.

Como vimos, proteger a rede de dados da empresa não é uma tarefa difícil, mas exige empenho. Afinal, é de informações corporativas que estamos falando, e dados pessoais e estratégias de negócios estão envolvidos aqui.

E você, como faz para proteger a rede de dados da empresa? Conte pra gente aqui nos comentários!

Videoconferência

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *